Uma nova estratégia para os próximos dez anos foi aprovada pelo Parlamento da Dinamarca com relação à biotecnologia nos alimentos. O ato é considerado um esforço para que se possa investigar o papel-chave que a biotecnologia pode ter no desenvolvimento de produtos com melhor gosto, mais seguros, de maior qualidade e mais baratos.
Segundo um estudo da Ernst&Young, denominado European Biotechnology Report 2003, a Dinamarca está em quinto lugar entre os países europeus em termos de número de companhias biotecnológicas. À frente estão Alemanha, Reino Unido, França e Suécia.