O médico e professor da Universidade de Calgare, Peter Forseth, junto a pesquisadores canadenses, liderou os estudos sobre a utilização do vírus VSV – vírus da estomatite vesicular – geneticamente modificado no combate ao câncer. O estudo foi publicado no periódico Journal of the National Cancer Institute.

Para que o tratamento possa ser eficaz, o vírus tem que atingir o centro de multiplicação das células tumorais sem que o organismo apresente uma resposta imune. A multiplicação do vírus deve ser rápida, espalhando-se e infectando as células do tumor. Com base nessas características, o vírus VSV tem se mostrado bastante eficaz no combate a vários tipos de tumores. Com o intuito de proteger as células normais contra a infecção, os pesquisadores provocaram uma mutação no vírus pela deleção de um aminoácido na proteína M.

Os pesquisadores avaliaram 14 linhagens de glioma – tipo de tumor do tecido nervoso – com o objetivo de analisar a susceptibilidade dessas linhagens à infecção e à morte pelo VSV mutante. A atividade e a segurança da utilização do VSV foram testadas em dois tipos de gliomas malignos humanose por meio de marcadores fluorescentes foi possível analisar a distribuição do vírus no tumor U87.

Os resultados dos testes mostraram que as 14 linhagens de tumores foram susceptíveis à infecção pelo vírus causando a morte das células tumorais. Duas formas de introdução do vírus nos tumores foram testadas pelos pesquisadores, em uma delas o vírus foi introduzindo diretamente no tumor e a outra na corrente sangüínea com o vírus nas formas inativas e ativas. Os resultados mostraram que introdução direta no tumor fez com que o mesmo regredisse e quando introduzido na corrente sangüínea a forma ativa do vírus prolongou a vida dos ratos quando comparada com a forma inativa.

A introdução do vírus recombinante mostrou-se bastante eficaz ao atingir não apenas as células presentes na massa tumoral, mas também as células cancerosas presentes na vizinhança do tumor e não apresentou toxicidade para as células normais.

Fonte: Equipe Biotec AHG – Arlei Maturano – 7/11/2006