O cientista responsável pelo desenvolvimento do arroz dourado disse que a demora na regulamentação está impedindo benefícios aos asiáticos há alguns anos. Ingo Potrykus, principal executivo do International Humanitarium Board for Golden Rice, disse que a falta de regulamentação está provocando milhões de mortes. “Poderíamos reduzir a malnutrição com a plantação do arroz dourado”, declarou.

Potrykus disse ainda que cerca de 200 g do arroz fornece 100% da quantidade recomendada diariamente de vitamina A. “Está claro que esse nível seria suficiente para uma enorme contribuição na redução da deficiência dessa vitamina na Ásia”.

Além disso, os cientistas envolvidos com o projeto têm explorado genes para incrementar os níveis de ferro e vitamina E no arroz e produzir alto teor de proteína com nível 10 de aminoácidos. Os governos de países asiáticos têm indicado que estão dispostos a apoiar financeiramente ações para tornar acessível o arroz aos fazendeiros, mas isto depende de ultrapassar os obstáculos da falta de regulamentação.

Potrykus disse ainda que há um acordo sobre a propriedade intelectual do arroz dourado, que vai permitir licença gratuita aos produtores desde que eles não exportem ou lucrem excessivamente com o produto. Enquanto isso, uma empresa de biotecnologia tem os direitos comerciais para desenvolvê-lo. Para Potrykus, este projeto está sendo um excelente exemplo de parceria entre os setores público e privado, trazendo reais benefícios para os pobres.

Clique aqui para ler a matéria completa.