Uma estudante da Universidade de Arkansas (Estados Unidos) busca ajudar os agricultores de arroz a cultivarem melhores safras por meio do estudo da planta em nível molecular. Tameka Bailey descobriu que algumas proteínas em certas plantas regulam a produção do ácido abscísico, que lidera a tolerância ao stress em condições de inundações e alta salinidade do solo. A pesquisadora isolou e caracterizou essas proteínas responsáveis por ativar a resposta das plantas ao stress do meio ambiente.

Para melhorar as plantações de arroz, Bailey utilizou da engenharia genética para criar uma variedade que expressasse uma grande quantidade desta proteína, chamada quinase. Após outros experimentos, ela descobriu que uma quantidade extra deste composto aumentava a tolerância a inundações. Tudo foi feito por meio da inserção do DNA da quinase no DNA da planta do arroz. “Esses testes são realmente importantes para os produtores de arroz. É uma contribuição direta” diz Bailey.

Segundo Yinong Yang da Universidade de Penn State – pesquisadora também envolvida no projeto – o estudo auxilia no entendimento do mecanismo sinalizador do stress na planta, além de ajudar o arroz na resistência a doenças e na tolerância a condições adversas do meio.

Fonte: University of Arkansas – Daily Headlines – 7 de agosto de 2007