Após o encerramento do Seminário Internacional Transgênicos no Brasil, em São Paulo, o Comitê Organizador do evento divulgou um manifesto com oito pontos defendendo a ampliação de políticas públicas para o tema. Diz a abertura do texto: “Diante do desconhecimento da maioria da sociedade em relação aos benefícios e os eventuais riscos dos produtos transgênicos, cabe à comunidade científica contribuir para gerar e disseminar informações confiáveis, que sejam capazes de reduzir as dúvidas e as preocupações (da população)”.

Hernán Chaimovich, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP) – um dos palestrantes do evento –, afirmou que a legislação brasileira atrapalha a Ciência ao impedir o avanço nos estudos científicos envolvendo os organismos geneticamente modificados, o que dificulta o entendimento da sociedade. Pelo manifesto, os pesquisadores “defendem a urgente ampliação dos recursos destinados à manutenção da capacidade de pesquisa do país na área”.

O documento foi assinado pelos pesquisadores José Roberto Postali Parra, Hernán Chaimovich, Franco Maria Lajolo e Wanderley Messias da Costa, todos da USP. O seminário, promovido pela universidade em parceria com a Academia Brasileira de Ciências e a International Union of Food Science and Technology, foi realizado de 27 a 29 de outubro e contou com representantes do Ministério do Meio Ambiente, do Ministério da Agricultura, da Embrapa e de academias e instituições de outros países.

Clique aqui para ler o documento na íntegra.