Cientistas da Universidade Ramat Gan, em Israel, descobriram como prolongar a vida útil de ratos. A pesquisa mostrou que a enzima sirtuína 6 (SIRT6), uma das sete sirtuínas encontradas em mamíferos, quando inserida em ratos, foi capaz de aumentar o tempo de vida destes animais em mais de 15%.

Os pesquisadores comparam animais geneticamente modificados com outros comuns e perceberam que os machos tiveram mais tempo de vida útil. Ainda não se sabe por que o mesmo não aconteceu com fêmeas, mas acredita-se que a resposta esteja nas diferenças entre os genes masculinos e femininos dos animais.

A descoberta, publicada na revista Nature, representa mais um avanço para o tratamento de diabetes e de doenças relacionadas ao envelhecimento.

Fonte: Revista Nature – 22 de fevereiro de 2012