Foram publicados, neste mês de julho, os resultados do seqüenciamento do DNA do Trypanossoma cruzi, causador do mal de Chagas e de mais dois parasitas unicelulares semelhantes a ele, o T. Brucei, causador da doença do sono e o Leishmania major, responsável pela leishmaniose. A pesquisa sobre os três agentes transmissores foi mais um esforço conjunto da ciência, que envolveu pesquisadores de diversos países, inclusive do Brasil. Durante o seqüenciamento os pesquisadores encontraram um alto nível de semelhança genética entre os três agentes, o que pode ser um indício de que eles possam ser tratados pelo mesmo princípio no futuro.

O seqüenciamento mais esperado pelos pesquisadores brasileiros era do T. cruzi, causador do Mal de Chagas. A doença foi descoberta no Brasil na primeira metade do século 20 e a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que ela atinja um total de 21 milhões de brasileiros e que leve à morte cerca de 21 mil por ano.

No estudo descobriu-se que o parasita tem cerca de 12 mil genes, quase metade do número de genes do ser humano, e que grande parte deles é responsável pela produção de uma única proteína com poucas variações. Espera-se que a partir das informações coletadas com o seqüenciamento surjam novas alternativas para o tratamento e cura para essas doenças.

As diversas informações coletadas no seqüenciamento devem servir de base para novos estudos sobre as doenças e especialmente para a busca de tratamentos. O estudo completo foi publicado com 8 artigos na edição de 15 de julho do periódico científico “Science”.

Fonte: Revista Galileu