Ricas em vitaminas e minerais, as hortaliças podem ser utilizadas como fontes de vacinas. Cientistas australianos estão num trabalho de caráter internacional, para encontrar formas novas de vacinas com base em alimentos.
Os pesquisadores, sediados em Adelaide e Melbourne, receberam US$ 180 mil para trabalhar numa vacina para sarampo, produzida a partir de plantas como batata, ervilha, banana ou mesmo da farinha de arroz. As vacinas existentes, segundo os cientistas, são caras e há sérios problemas quanto à estratégia de entrega nos países em desenvolvimento.
Vacinas orais produzidas a partir de plantas que cresçam facilmente em diferentes regiões podem dar impulso à distribuição de vacinas e, o mais importante, algumas vezes provocar melhores respostas imunes. Camundongos alimentados com a proteína cultivada em plantas de tabaco geneticamente modificadas desenvolveram anticorpos que desativaram o vírus de sarampo.