Cientistas da Coréia desenvolveram uma variedade GM da planta Arabidopsis thaliana, que tem tolerância à presença de metais pesados como o cádmio e o chumbo. Tal planta acumula grande quantidade desses metais, tornando-se, assim, útil para a fitorremediação.

Trata-se de um complexo processo que envolve a solubilidade de metais pesados no solo, que são levados para dentro da planta, criando resistência e acúmulo dessas substâncias.

O chumbo é um dos mais importantes metais pesados, responsável por contaminações nos países industrializados e considerado a ameaça número um à saúde infantil. Uma vez acumulado no corpo humano, o chumbo afeta vários sistemas, incluindo o sistema nervoso. Por sua vez, o cádmio é considerado agente cancerígeno, mesmo em baixa concentração. Como a limpeza de solos contaminados tem custo muito alto, o processo da fitorremediação é uma importante alternativa, pois tem baixo custo e é considerado uma estratégia “amiga” do meio ambiente.

Clique aqui para ler a matéria completa.