A intermitência das chuvas é uma das dificuldades enfrentadas por inúmeros agricultores em todo o mundo. Para tentar minimizar este problema, cientistas planejam dar aos agricultores um pouco mais de tranqüilidade por meio de plantas geneticamente modificadas (GM) que precisem de menos água para produzir a mesma quantidade – ou até mais.

“Não importa se é um produtor de algodão do Alabama ou uma plantação de milho numa terra que sofre com a seca na Dakota do Sul”, diz o chefe oficial da empresa, Robb Fraley. “O interesse no controle das inundações é geral, porque todo lugar se depara com algum tipo de estresse relacionado à água a cada três ou quatro anos”.

A empresa envolvida no estudo anunciou que já fez os primeiros testes com o milho e algodão GMs, dois dos maiores cultivos agrícolas do Alabama. Segundo Fraley, algumas variedades de milho GM testadas apresentaram produção de 10% a 15% maiores quando comparadas ao milho convencional exposto aos mesmos níveis de água. “Isso representa uma enorme vantagem econômica”, afirma o chefe oficial. A companhia espera ter um produto a oferecer aos agricultores a partir de 2010.

No caso do algodão, uma semente tolerante a inundação deve estar disponível entre 2016 e 2018, de acordo com Fred Perlack, diretor responsável pela tecnologia deste cultivar. Ele afirma que os pesquisadores planejam desenvolver uma variedade que produza tanto quanto as plantas tradicionais, mas que necessite de 20% a menos de água.

Fonte: Birmingham News – 31 de julho de 2007