Pesquisadores da Universidade da Califórnia obtiveram plantas GM que podem sobreviver à seca e crescer com 70% a menos do volume de água usado nas variedades convencionais. Usando o tabaco como modelo, cientistas suprimiram a “programação de morte” das células das folhas para que pudessem sobreviver à seca. Isso foi feito pela inserção de um gene que controla o nível de citocinina, hormônio vegetal que promove a divisão celular em tecidos jovens. A introdução do gene que codifica para o aumento dos níveis de citocinina em tecidos estressados interrompeu a cadeia bioquímica de eventos que normalmente levam a perda de folhas pelas plantas durante a seca.

Os testes mostraram que, diferentemente do tabaco convencional, que perde suas folhas e morre se não for regado por um período de duas semanas, a planta transgênica não mostra nenhum sinal de deterioração severa. A descoberta pode ser importante para regiões áridas, especialmente em locais onde, segundo estimativas, a água se torne cada vez mais escassa no futuro por causa das mudanças climáticas.

Fonte: Universidade da Califórnia – 26 de novembro de 2007