Um estudo brasileiro que deve ser publicado em cerca de dois meses na revista Cell, Tissues and Organs apresenta uma outra fonte possível de células-tronco pluripotentes: a polpa do dente de leite. De acordo com a pesquisadora Irina Kerkis, do Instituto Butantã, essas células expressam marcadores de diferenciação hoje presentes tanto nas células adultas quanto nas embrionárias. Em laboratório, Irina e sua equipe também conseguiram obter neurônios, músculos, cartilagem e ossos. E em camundongos perceberam migração para fígado, rim, baço e cérebro.

Fonte: O Estado de S. Paulo – 08/01/2007