O trabalho com a biotecnologia no Quênia e outros países em desenvolvimento garantiu à cientista Wangari Maathai o prêmio Nobel da Paz de 2004. Maathai, que também é assistente do ministro do Meio Ambiente e Recursos Naturais do Quênia, atuou com o objetivo de garantir uma adoção segura da tecnologia. O Nobel concedido também se deve à sua longa cruzada contra a destruição ambiental na África.

Durante um programa nacional de TV no Quênia, Maathai disse que a agricultura biotecnológica veio para ficar “e o melhor que podemos fazer é treinar as pessoas envolvidas com ela para minimizarmos os riscos”.

Ela deu o exemplo do Quênia, onde o presidente este ano apoiou o uso da biotecnologia para impulsionar a produção de alimentos enquanto forneceu recursos para um centro de ensaios que envolve o milho Bt, conduzidos pelo Kenya Agricultural Research Institute e pela International Maize and Wheat Improvement Center (Cimmyt).