Cientistas chineses anunciaram a criação de uma vaca geneticamente modificada (GM) capaz de produzir proteínas para auxiliar na luta contra o câncer humano. Segundo os pesquisadores, o animal, que pode produzir os anticorpos CD20 em seu leite, permitirá à China produzir proteínas terapêuticas mais baratas.

Os anticorpos humanos monoclonais (produzidos por meio de uma única célula) poderiam ser purificados a partir do leite da vaca transgênica, sendo utilizados para o tratamento de linfomas de células B, leucemias e algumas doenças auto-imunes, afirma Li Ning, chefe da equipe de pesquisa da Academia de Engenharia da China.

“Após 10 dias de observação cuidadosa, estamos felizes em ver que a vaca é muito saudável”, afirmou Li. O bezerro pesava 38 kg no nascimento. Daqui a sete ou oito meses, a equipe poderá induzir a lactação para testar a expressão de anticorpos.

A produção desse tipo de anticorpo em leite de vaca pode baixar significativamente os custos da produção do anticorpo CD20, que atualmente utiliza células quiméricas de anti-CD20 de ovário de hamster.

O baixo nível da expressão do anticorpo e o alto custo da cultura celular têm sido obstáculos para a produção industrial, aprovada em 1997 pelo órgão regulador americano Food and Drug Administration (FDA). “O objetivo da nossa investigação é fazer com que os animais transgênicos expressem níveis mais elevados do anticorpo”, disse Li, acrescentando que ratos transgênicos foram capazes de expressar em média 10mg/mL de anticorpo CD20, em testes.

O grupo chinês planeja completar o estudo clínico do primeiro alimento funcional com o anticorpo em três anos e solicitar a autorização de produção para as autoridades chinesas. A primeira droga funcional deve estar disponível em cinco anos.

Fonte: Checkbiotech – 12 de agosto de 2008