Pesquisadores do MD Anderson Cancer Centre, no Texas, encontraram indícios que sugerem que uma proteína que acreditava-se impedir o reparo do DNA possa, na verdade, promovê-lo.

A HMGB1 é uma proteína cromossômica abundante que se liga aos locais de DNA danificado. As pesquisas, lideradas por Karen Vasquez e Sabine Lange, monitoraram a atividade da proteína nas três etapas de restauração do DNA: o acesso aos danos causados, a reparação e a compactação de cromatina.

Eles encontraram evidências de que HMGB1 convoca outros fatores de reparo do DNA para o local danificado. Eles também observaram que a presença da proteína resulta em uma taxa mais elevada de cromatina restaurada em células danificadas.

“Nossos resultados sugerem que a falta dessa proteína pode deixar os doentes mais vulneráveis a desenvolver câncer”, disse Karen.

Fonte: http:// www.biotechnews.com.au /index.php/id;1136815443; fp;2;fpid;1 – 24 de julho de 2008