Um novo estudo desenvolvido na Europa pode oferecer uma importante arma no combate ao rotavírus, principal causador de gastrenterites virais infantis em todo o mundo. Pesquisadores franceses alteraram a seqüência genética de ratos e coelhos tornando-os capazes de secretar leite com elevados níveis de proteínas VP2 e VP6. Estas enzimas têm habilidade em criar partículas VLPs, que são formadas pelos principais componentes virais e possuem grande poder imunológico. Segundo a pesquisa, o leite conferiu proteção ao rotavírus, mostrando-se ser uma vacina eficiente quando testadas em ratos, por via oral.

De acordo com a pesquisa, publicada pelo National Center for Biotechnology Information (NCBI), o uso de animais transgênicos no desenvolvimento do antivírus possibilita uma produção em grande escala e a baixo custo, adequando-se às necessidades industriais e à realidade dos países pobres. Todos os anos, as rotaviroses provocam a morte de aproximadamente 500 mil crianças com menos de cinco anos, principalmente em regiões subdesenvolvidas.

Fonte: National Center for Biotechnology Information (NCBI)