A Academia Chinesa das Ciências da Agricultura, por intermédio da agência estatal Nova China, anunciou recentemente que onze variedades de algodão geneticamente modificado resistente a lagartas foram registradas e estão sendo comercializadas em 12 províncias produtoras do produto. Estatísticas do Ministério da Agricultura da China indicam que a plantação desse algodão abrange 400 mil hectares, o que levou a uma significativa redução do uso de pesticidas usados contra lagartas. Os cientistas chineses disseram que o algodão transgênico produz fibra de boa qualidade, tem alto rendimento e boa resistência a pragas. O país tem obtido notáveis realizações na aplicação e desenvolvimento da engenharia genética desde o começo dos anos 80, quando deu início à pesquisa genética na agricultura, disseram especialistas. Até hoje, o país clonou, com sucesso, mais de 100 diferentes genes e produziu em laboratório mais de 180 espécies de plantas geneticamente modificadas. As variedades do algodão foram desenvolvidas como parte do Projeto 863, um programa da China para o desenvolvimento e pesquisa. Desde seu lançamento, em março de 1986, o projeto deu origem a mais de 2 mil patentes em pesquisas e desenvolvimento de alta tecnologia. Você encontra esse texto no seguinte endereço: Veja notícia completa em inglês