O Quênia está entre os três países mais avançados da África em termos de pesquisas no campo da engenharia genética. O país está atrás apenas da África do Sul e do Egito. Os avanços nas pesquisas envolvem fermentação e processos para desenvolver plantas híbridas.

Falando num seminário de biotecnologia no Hotel Nairobi, a pesquisadora Lucy Mathege levantou a necessidade de o país terminar com urgência a regulamentação quanto à adoção dos alimentos GMs. O documento ainda está em formatação.

O Quênia tem consumido alimentos geneticamente modificados importados de outros países, embora não tenha estatísticas oficiais sobre essa importação.

Clique aqui para ler a notícia em inglês.