A US Agency for International Development (Usaid) diz que as nações africanas deveriam considerar o uso de plantações GM, particularmente o milho e as variedades resistentes à seca e a solos úmidos. Falando para o Comitê de Relações Internacionais, o representante da entidade, Andres Natsios, diz que é uma falsa ilusão a idéia de que não há interesse no continente pela biotecnologia.

“A maioria dos ministros africanos de agricultura, os presidentes e primeiros-ministros com quem tenho conversado estão todos interessados em trazer essa tecnologia para seu sistema”, disse Natsios. Segundo ele, 9% das plantações de milho na África do Sul é GM, “mas consiste de variedades específicas do país”. Os sul-africanos, ressaltou, têm obtido sucesso com a variedade de milho branco, “mais popular no país do que o amarelo”. “Trata-se de uma plantação adequada não só aos grandes agricultores, mas também aos de menores recursos”.

Clique aqui para ler a notícia na íntegra.