O editorial da revista científica Nature, intitulado “Posturas Venenosas” e publicado no dia 25 de setembro, faz uma série de críticas ao método de pesquisa e de divulgação utilizado no estudo que sugere que uma variedade transgênica de milho está associada à morte prematura e ao desenvolvimento de câncer em ratos. Segundo o periódico norte-americano, o grupo liderado pelo biólogo Gilles-Eric Séralini, “não divulgou as conclusões da pesquisa de maneira clara e não deu chance à comunidade científica de ratificar as descobertas feitas”. O referido trabalho veio a publico no dia 19 de setembro, por meio da versão online da revista Food and Chemical Toxicology.

De acordo com o editorial da Nature, os pesquisadores deveriam ter se preocupado com o fato de suas “descobertas” serem divulgadas como conclusivas antes de passarem pela devida revisão de outros cientistas (processo de peer review). Além disso, os jornalistas que quisessem escrever sobre o estudo tiveram que assinar um embargo, que os impedia de contatar outros cientistas.

Logo após a publicação da pesquisa, muitos cientistas especializados se pronunciaram a respeito e questionaram tanto a metodologia da pesquisa quanto as suas conclusões. A comunidade científica pede que os autores do estudo divulguem os dados primários para que a pesquisa possa passar pelo processo usual de revisão.

Fonte: Nature – Setembro de 2012