A nova variedade foi liberada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) para cultivo comercial em outubro de 2009

Quatro anos depois de ser lançada nos EUA, a segunda geração de milho transgênico chega ao Brasil. A nova tecnologia combina duas proteínas e é resistente aos três tipos mais comuns de lagartas que atacam as lavouras de milho – do cartucho, da espiga e a broca-do-colmo.

Pelos testes realizados, o índice de aplicação de inseticidas contra as lagartas tende a zero para a nova tecnologia. Na primeira geração, 80% dos produtores declararam não terem feito nenhuma aplicação, enquanto os 20% restantes fizeram apenas uma. Para as variedades convencionais, as aplicações para lagartas variavam entre duas e oito.

A nova variedade vai estar disponível para a safra de verão. Incluindo todas as variedades geneticamente modificadas – de primeira e de segunda geração – a estimativa é de uma participação de 65% de toda a área plantada no país.

Fonte: Agrolink – 11 de Junho