Terapias genéticas apontam para a cura da epilepsia

Descobertas recentes têm potencial para beneficiar pessoas que não podem se submeter aos tratamentos convencionais da doença