Tomate-H-300x200Cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveram uma variedade de tomate geneticamente modificada para produzir um peptídeo que age da mesma maneira que a principal proteína do HDL, o bom colesterol.

De acordo com o estudo, ratos alimentados com o tomate transgênico apresentaram menos casos de inflamações e formação de placas nas artérias. Segundo os estudiosos, a planta foi escolhida para a pesquisa genética porque pode ser consumida sem cozimento – processo que poderia anular o efeito do peptídeo. “Agora, outros estudos serão feitos para verificar eficácia também em seres humanos”, diz Judith Gasson, professora de medicina e biologia da Universidade da Califórnia.

A descoberta publicada no Journal of Lipid Research é importante por ter conseguido produzir uma substância com propriedades medicinais em uma planta e mantê-la ativa quando consumida, sem necessidade de isolamento ou purificação.

Fonte: Journal of Lipid Research – Abril de 2013