Um estudo realizado por pesquisadores da Plant Research International (Holanda) e da Universidade Erlangen-Nürnberg (Alemanha) indicou que o aumento dos níveis de flavonóides, compostos que ajudam a prevenir doenças como o câncer em tomate transgênico reduz a produção da proteína C-reativa, agente de risco para o sistema cardiovascular.

De acordo com a pesquisa, publicada na edição de setembro do Journal of Nutrition, “os resultados demonstraram pela primeira vez que um fruto GM com aumento dos níveis de flavonóides apresenta efeitos antiinflamatórios que excedem os efeitos do seu semelhante selvagem”. Para aumentar a quantia de flavonóides no tomate, os cientistas inseriram os genes da chalcona-isomerase (CHI) da petúnia (Petúnia chalcone isomerase) e de flavona-sintase (FNS) da Gerbera hybrida (Gerbera hybrida flavone synthase).

Os testes foram conduzidos em camundongos, alimentados com 4g de casca por kg de cada ração diariamente. Esta quantidade é equivalente à ingestão diária humana de 23 gramas de casca, ou aproximadamente 230 gramas de tomate fresco.

Fonte: Journal of Nutrition / Setembro 2006