Um programa de colaboração entre cientistas brasileiros e canadenses pesquisa genes que podem gerar rebanho mais dócil e carne com maior maciez.

O primeiro zebuíno nelore do mundo a ter o genoma sequenciado foi o touro 7308 PO Perdizes, da Fazenda Perdizes, de Campo Grande (MS). Dentre todos os touros participantes do projeto, o animal destacou-se pela sua superioridade genética. O sequenciamento foi realizado pela Genoa Biotecnologia e pela Universidade de Alberta, no Canadá. A pesquisa identificou marcadores moleculares de cinco características: área de lombo, precocidade sexual, acabamento de carcaça, ganho de peso e docilidade.

O projeto escolheu a raça nelore por representar 80% do rebanho bovino brasileiro e pelos seus reflexos na economia do país. Milhares de animais foram pesquisados e 3 mil foram validados. Os resultados da pesquisa, utilizados na seleção genética, vão proporcionar um rebanho precoce, mais dócil e uma carne com maior maciez, propiciando ganhos de produtividade para o setor.

O Touro escolhido para o mapeamento genético tem precocidade sexual e estrutura forte de ossatura. Com apenas 18 meses conquistou medalha de ouro entre os 376 animais avaliados na 4ª Prova de Ganho Peso a Pasto da seleção Perdizes – Nelore Quilombo. Em 2009, teve 70 filhos avaliados pelo Programa de Melhoramento Genético da Raça Nelore (PMGRN) e é destaque nas avaliações.

Fonte: ContatoCom – 05 de Maio de 2010