Uma aliança internacional tem sido responsável pela produção de novas variedades de trigo resistentes ao fungo Ug99, causador da ferrugem do caule, doença que pode provocar a redução de 10% da produção mundial. Em um encontro realizado em Ciudad Obregón, no México, especialistas discutiram sobre a rápida disseminação do fungo, que apareceu pela primeira vez em Uganda, na África, há quase dez anos.

Cientistas desenvolveram cerca de 60 novas variedades de trigo que contém vários genes com pequena resistência ao Ug99. Embora estes não possam proporcionar tanta proteção como os genes que promovem um alto nível de resistência, os pesquisadores acreditam que serão mais eficazes em longo prazo, porque obrigam o fungo a superar uma ampla gama de barreiras genéticas.

As variedades resultantes desse trigo produzem entre 5% e 10% mais grãos que as variedades mais populares. “Com variedades de altos rendimentos, esperamos uma taxa maior de aceitação, particularmente naquelas áreas onde o Ug99 ainda não está causando problemas imediatos”, assegurou Ravi Singh, perito no trigo do Centro Internacional de Melhoramento de Milho e Trigo (CIMMYT) do México e quem liderou o estudo.

A fim de obter resultados mais rápidos e eficazes, os pesquisadores trocam constantemente cultivos transgênicos entre o CIMMYT e a estação experimental em Njoro, no Quênia, onde o Ug99 está bem estabelecido.

“Temos enviado um grande número de plantas ao Quênia, onde estão testando a baixa resistência em condições reais”, indica Singh. As variedades resistentes são enviadas de volta ao México, onde são adicionadas outras características positivas.

Este “esquema de ponte aérea para o melhoramento” aproveitou as temporadas de cultivo do ano no México e no Quênia, reduzindo pela metade o número de anos requeridos para gerar e provar variedades.

O fungo Ug99 tem se disseminado na Etiópia, no Irã, no Yemen, no Quênia e no Sudão. Alguns cientistas acreditam que a doença avança também em direção ao sul da Ásia, responsável por 19% da produção mundial de trigo.

Fonte: SciDev.net 19 de março