Cientistas estão se preparando para começar a testar algodão geneticamente modificado (GM) em Uganda ainda neste ano. O algodão Bt vai ser testado em fases experimentais antes de ser liberado para os agricultores e para cultivo em massa.

Serão tomadas precauções para assegurar que o cultivo geneticamente modificado não cruze com outras variedades convencionais durante o período experimental, de acordo com a direção do Conselho Nacional do Instituto de Pesquisa em Recursos do Semi Árido de Uganda.

Além disso, com o algodão Bt, espera-se mudar a falta de interesse no cultivo do produto em Uganda. Isto porque, a produção anual do produto diminuiu de 467.000 fardos em 1969 para 60.000 fardos no ano passado, segundo a Autoridade de Desenvolvimento do Algodão. Esta realidade tem levado pequenos agricultores a abandonar este plantio devido aos baixos rendimentos, além da dificuldade de combate às pragas e aos preços baixos.

Arthur Makara, secretário da Comissão Nacional sobre Biossegurança, disse que os dados recolhidos pelos cientistas com os ensaios experimentais ajudaram a fundamentar as decisões políticas, em caso de um pedido de comercialização do algodão Bt no país.

FONTE: http://claria13. securesites.net /News/releases/ 2008/july/23052.htm – 2 de julho de 2008