OvelhaFluorescente-B-300x200Cientistas do Instituto de Reprodução Animal do Uruguai (IRAUy) e do Instituto Pasteur de Montevidéu desenvolveram as primeiras ovelhas geneticamente modificadas (GM) da América Latina. Os animais transgênicos receberam um gene, originário de uma água-viva, responsável pela produção de uma proteína verde fluorescente. Como resultado, as ovelhas uruguaias ficam com seus tecidos esverdeados quando expostas a certas condições de luz ultravioleta.

O objetivo do estudo é verificar se a técnica utilizada, a introdução de genes em embriões de cabras, vacas e ovelhas, resulta em animais adultos que expressam a proteína de interesse. A característica da fluorescência foi escolhida devido à sua fácil observação.

Se as análises moleculares e estudos genéticos forem bem-sucedidos, a técnica poderá ser usada para que animais transgênicos possam expressar características de uso medicinal, a exemplo da produção de hormônio do crescimento humano.

Fonte: El Observador – 24 de abril de 2013