A partir de novembro, o Instituto Sul-Africano de Biotecnologia do Vinho, da Universidade de Stellenbosch, começará os testes de campo com variedades de uvas geneticamente modificadas. As pesquisas serão conduzidas num sítio de 930m2 e devem continuar pelos próximos cinco anos. As variedades em teste, resistentes às doenças das lavouras locais, fazem parte do Programa de Biotecnologia da Uva, criado pela instituição sul-africana há oito anos. Até o momento, não existem uvas transgênicas disponíveis comercialmente na África do Sul.

Fonte: AGROW / Septembro 2006