Cientistas da Universidade de Waikato, na Nova Zelândia, desenvolveram uma vaca geneticamente modificada que produz leite com menos probabilidade de causar reações alérgicas. Liderados por Goetz Laible, os pesquisadores inibiram a ação dos genes que codificam a proteína conhecida como BLG (sigla para “beta-lactoglubulina”), responsável por causar alergia. Os resultados mostraram que houve redução de 96% na produção da proteína BLG.

Aproximadamente 3% das crianças são alérgicas ao leite de vaca no primeiro ano de vida.

Fonte: AgResearch – 02 de outubro