As metalotioneínas (MT) são uma família de proteínas presente em plantas, animais e microorganismos. Elas funcionam na desintoxicação de metais pesados tão bem quanto no controle do estresse oxidativo por meio da captura de radicais livres. Os alimentos com alto conteúdo de MTs têm um grande potencial como alimentos funcionais. Por meio da introdução do gene mt-1, correspondente à proteína metalotioneína 1 de ratos, um grupo de pesquisadores da Universidade de Pequim, China, obteve plantas transgênicas de tomate com níveis mais elevados de zinco e maior atividade antioxidante.

A proteína MT-1 tem uma capacidade de união seletiva ao zinco, de modo que os níveis desse metal presentes nas variedades transgênicas são mais altos em relação às convencionais. Além disso, as linhagens modificadas mostraram uma maior atividade da enzima superóxido-dismutase (SOD), responsável pela remoção de radicais de oxigênio, que causam dano celular. Entre as enzimas antioxidantes, os níveis de SOD são importantes na manutenção das defesas gerais das plantas submetidas à oxidação. Os tomates transgênicos gerados por este grupo poderiam ser usados na formulação de suplementos contendo antioxidantes e zinco. O trabalho foi publicado na revista Journal of Agricultural Food and Chemistry.

FONTE: CropBiotech – 31 de outubro de 2007