Uma nova variedade de videiras resistente à doença Fanleaf deve ser plantada em caráter de teste em um vinhedo localizado em Alsace, na França. O objetivo do projeto é melhorar a saúde e a qualidade das plantações, reduzir o uso de pesticidas e contribuir para a recuperação da indústria francesa de vinhos, que vem sofrendo com a competição de mercados como a África do Sul, Nova Zelândia, Austrália e América do Sul.

A doença é transmitida por um nematóide conhecido por Xiphinema index, que se alimenta das raízes das videiras, transferindo o vírus Grapevine Fanleaf (GFLV) das plantas infectadas para as saudáveis. As videiras GMs foram desenvolvidas por meio de um processo que visa imunizar a planta contra o vírus, que prejudica o crescimento da planta, causa descoloração das folhas e modificação no gosto das frutas. As variedades de uvas mais afetadas são a Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Gewürztraminer and Pinot Noir.