O governo da Zâmbia desenvolveu um plano estratégico nacional de biossegurança e biotecnologia apenas sete meses após ter rejeitado alimentos GMs vindos como doação dos EUA. “Nossas mentes agora estão abertas e agora precisamos construir nossa capacidade em biossegurança e biotecnologia”, diz o cientista Paul Zambezi, diretor de Ciência e Tecnologia do Ministério da Ciência, durante workshop promovido em Lusaka para discutir o plano.

Zambezi salientou que uma política de biotecnologia tem sido desenvolvida no país, e depende apenas da aprovação e adoção pelo gabinete central. O programa de biotecnologia e biossegurança envolve sete áreas, entre as quais meio ambiente, biodiversidade – cujo objetivo é preservar a diversidade genética das plantações locais –, animais de granja, peixe e controle da poluição.

Clique aqui para ler a matéria completa.